Como evitar um stalker [acabou, juro]

30 10 2008

Continuando o manual stalker [depois de intermináveis dias sem capacidade mental e temporal pra escrever], vamos à última lição nada louvável, nem reconhecida muito menos famosa, onde ensinarei como evitar e se livrar de um stalker.
Como não existe nenhum tipo de Serviço de Atendimento ao Stalkeado, nos sentimos na obrigação [RISOS] de oferecer esse suporte a vocês.

No caso de um término de relacionamento amoroso, [situação que mais gera stalkers sedentos de informações dispensáveis e obsessivas] é essencial deixar claro que você deu um pé na bunda com decência, falar que não quer mais nada com a pessoa nem no Second Life, isso retirará delicadamente todas as esperanças do stalker [pelo menos teoricamente]. Não dê brechas para outras interpretações e fale sem medo de ser cruel, às vezes o “sou bonzinhodomeucu” sóóóó porque está terminando com a pessoa pode fazer com que ela pense que você ainda tem algum apreço por ela, a partir daí, já dá pra prever o que pode acontecer. Apesar de tudo, tente ser firme e respeitoso, pois a pessoa pode querer começar a te perseguir só por vingança.
Sim, você se meteu numa GRANDE furada ao ter conhecido esse ser.

Depois te ter quebrado o éssi dois do stalker, evite [e esse “evite” significa “não tenha sob hipótese alguma”] contato com o staker por um longo tempo. Nem pense em pedir o telefone daquele(a) amigo (a) tchutchuquinho (a) dele (a) e esqueça o Wii que deixou na casa dele (a). A distância e a frieza são essenciais.

Se o rejeitado insistir, você vai ter que apelar para as técnicas protecionistas.

Por mais exibidinho que você seja, terá que abrir mão de toda sua glória para se proteger. Pare de colocar informações pessoais nas redes sociais, pode ter certeza que o stalker vai olhar seu profile todos os dias para saber se você mudou o status de relacionamento, quem está te mandando scraps etc. É possível que isso não o detenha, mas pelo menos você estará evitando.

Lembre-se que tudo que é relacionado a você está sendo vigiado pelo stalker, portando encoraje a galere a ser mais discreta também, pelo menos não escrever no seu scrapbook “QUEM É AQUELA COISA LINDA QUE VOCÊ PEGOU ONTEMMM, MENINA!?? ME CONTA!!!”

O que vou dizer agora pode te assustar, mas não sei se já perceberam, mas aqui na Lan não poupamos vocês dos detalhes mais miseráveis e indiscretos. Você não terá apenas que cuidar da sua imagem online mas também da offline, isso mesmo, a vida real, ela ainda existe. Portanto cuidado com telefonemas [nada de chatline nem Walter Mercado], não confie nem em atendentes de telemarketing. Se o seu porteiro não for um Gervásio***** da vida, não confie a ele informações pessoais, porteiros são mais fofoqueiros e volúveis que manicures.

Terminamos por aqui esse manual nada aclamado. Watch your step, beibe.

PS: Comentei que sou deveras paranóica?

Ludivon

Anúncios




Como identificar um stalker?

9 10 2008

Após o sucesso quase inexistente do primeiro post sobre os Stalkers loucosdocudeles, eu, insistentemente venho através desse blog medíocre ensinar à galere que ficou toda borradinha de medo, comofas pra identificar um Stalker.

Pra quem pegou o bonde andando [expressão babaca] leia aqui o que é um Stalker.

Titia explica.

– Ludivon, to com medo, cuméquifas pra saber se uma pessoa é stalker ou não? Fica estampado na cara do maledito?

Reconhecer um stalkerzinho miserável é um pouco complicado, afinal, todos temos um tipo de comportamento obsessivo eventualmente [ou quase frequentemente], mas só ser fissuradinhodocu não significa que o chicano ou a chicana seja stalker, eles não vêm com marca de nascença ou sinais físicos específicos [tipo, tem pêlo na orelha, é stalker! No no no]. Na verdade, a maioria deles é bem jeitosinha, podem parecer bem tchutchucos inicialmente, mas também tem os que parecem sociopatas descritos.

– Mas titia, o que levou essas pobres criaturas a isso?

Stalking existe há litruz de tempo, mas só agora que ficou cool é que eles resolveram estudar essa bizarrice esse estilo de vida, supõe-se que [como 98% dos outros diastúrbios psicológicos] é um reflexo de alguma violência doméstica e outros fatos do tipo.

– Ah, mas fala aí alguma característicazinha, vai…

Humor oscilante, ansiedade, problemas com drogas/ entorpecentes, baixa auto-estima, insegurança social, narcisismo, ciúmes doentio, óleo de amêndoas PAISHÃO doentia . [uau, puta informação hein, 90% das pessoas se identificaram aqui].
Por isso que eu estava enrolando, informação inútil, chuchuzinho.

Como a definição não podia ser tão simples pra seres com uma miséria tão vasta, dividiram a porcalhada toda em 3 tipos:

Obsessivo SIMPLES:
A [hum] saudável relação entre o stalker e a vítima inclui o pacote Bronze, que consiste em:
Eles têm preferência por stalkear conhecidinhos, vizinhos, clientes, parceiros profissionais, casinhos e, claro, amorzinhos.
Normalmente o processo de GPS do stalker se inicia quando leva um pé na bunda  ou quando percebe alguma ofensa pessoal no tratamento. [tipo, toma seu troco, seu cabeça de rocambole].

Erotomania:
[Pra quem não se tocou, Erotomania é um termo proveniente de Eros, o deus do lóvi]
Nesse pacote, muito mais direcionado, feito especialmente para um público muito mais segmentado, o tema principal do rastreamento é a pessoa pela qual o stalker ta apaishonadinho.
A ilusão [como de costume] consiste em amor idealizado, com união espiritual, amizadal e xucal, o que ao contrário do que a maioria pensa, não chega a ter muitos interesses zeguizuais – é tipo “Brínzibe/ Brinceza encantado (a)”
O objeto de afeição normalmente é um ser superior para o stalker e pode ser um completo estranho [te vi na padaria pedindo 3 pães e me apashonei].
Esforços ridículos para entrar em contato com a vítima são comuns, mas o stalker também é bem chegado em manter a paishão em segredinho.

Lóvi obsessivo:
Assemelham-se aos erotomaníacos [meio óbvio isso].
A vítima normalmente é uma figura conhecida, uma CELEBRIDADE.
Às vezes eles chegam à insanidade de pensar que as vítimas também os amam [mas ela ainda não sabe, né].
Mas também, eles ATORAM mesmo ser obcecados pelas vítimas, mesmo sabendo muito bem que a pessoa nunca nem vai saber da existência deles.
Então, para tentar reverter esse processo, eles sentem uma coceirinha no lulu/lelé para que as celebridades saibam que eles existem, recorrendo às mais ridículas e improváveis estratégias.

Prontinho, alunos, agora vocês já sabem identificar um stalker. E pra não poderem sair me difamando por aí, falando que eu explico tudo de má vontade, até separei os miseráveis tipos. Agora, watch your step, shooshoo! [a não ser que você queira, mas daí também aprendeu comofas pra ter um personal stalker].

No próximo post, vou ensinar o que se deve e não se deve fazer para conseguir se livrar de um stalker [ou pra não se livrar dele, enfim].

Beijosnãomiliganemmandacartanemmisérianenhuma

Ludivon





Entre na moda, vire stalker.

7 10 2008

Como a Lan House é um blog trendy e claro, seu manual de auto-ajuda da brinks, resolvi atender aos pedidos antigos e insistentes e argumentar sobre um, ham, distúrbio, que de tanto estar sendo abordado, discutido e até mesmo perseguido [hahaha] começou a ser quase socialmente aceito, estou falando do muy hablado stalking lifestyle.

[Para os desinformadinhos -> stalker = menine miserável que, na falta de algo melhor a fazer, vive ridiculamente perseguindo gente mais interessante que ele].

Tentarei fazer uma série, onde discorrerei sobre os pontos mais requeridos: Como ser, como identificar e como se livrar de um [esqueci de algum?].

Comecemos então com o Wannabe!

Ser Stalker, comofas?

1º Passo – Perca todo seu senso do ridículo.

Os stalkers legítimos não têm a menor noção das conseqüências dos seus atos, são impulsivos e obsessivos. Zelo, consideração e principalmente o bom senso automaticamente passam a ser palavras inexistentes no seu vocabulário.

2º Passo – Escolha uma vítima.

É óbvio que não dá pra ser um stalker se você não tiver a quem stalkear.

Vítimas preferenciais: ex namorado (a), amor platônico, namorado (a), marido, esposa, ficante, celebridades, objetos de desejo, amante, amigos (as) de irmão (ã), professor (a), vizinho (a) gostoso (a), Tonhão da regulagem.

3º Passo – Crie vínculos imperceptíveis.

Inicialmente, você deve seguir a pessoa disfarçadamente. Nesse primeiro momento, você vai construir as bases para uma stalkeada bem incoveniente e certeira.

Faça um perfil no Orkut sem nada, nem foto, desative a opção da “bina” orkutística e grave o link do perfil da pessoa, assim como de todas as pessoas suspeitas de estarem se relacionando com ela. Faça aloca, você vai ter que aprender a ter uma visão ampla, sugiro o uso do Del.ici.ous.

Se ela tiver Twitter, faça uma conta fake e a siga também, aliás, o Twitter já é uma rede criada para stalkers, onde se separa os participantes por Followers e Followings, em outras palavras, Stalkers e vítimas.

Use quantas redes sociais for possível, vivemos numa era muito propícia para stalkers!

4º Passo – Comece a montar o Arquivo Confidencial.

Junte todas as informações possíveis e impossíveis sobre a vítima, invente se quiser, mas faça isso constrangedoramente. Coloque-se no lugar da equipe do Faustão, onde eles tentam miseravelmente achar informações irrelevantes que deixam a galere com o S2 na mão. [de medo, diemossão, seja o que for].

Você tem que ter basicamente as seguintes informações:

Telefones e endereço – para poder atormentá-la caso seja necessário, como ocasionalmente deixar pacotes bem constrangedores, dê preferência às embalagens de sex shop.

CPF – para saber da situação financeira e sujar o nome porventura.

Nome completo e informações básicas dos parentes mais próximos – você pode precisar fazer umas ameaças de seqüestro.

Situações constrangedoras passadas – chantagens sempre caem bem.

5º Passo – Brinque de teatrinho mágico de uma mente perturbada.

Um stalker experiente sabe quando deve se portar em cada situação, sabe quando deve se fazer de vítima quando a situação aperta pro lado dele e pressionar quando sabe que está na vantagem, ou seja, tem que estar sempre no controle da situação. Desperte o Wolf Maya que está dentro de você [outra citação Global, yeah baby, eles sabem o que você faz na buatchy], seja o diretor desse teatrinho lastimável.

Exemplo: se os amigos começarem a vir falar pra você parar com isso, que é loucura, faça o discurso mais dramático da sua vida, recorra às lágrimas, remédios e consultas psiquiátricas, stalker é igual marido bêbado, sempre consegue convencer que vai melhorar.

Uma dica importante: ser stalker não significa ser esquizofrênico, você só tem que se fazer de louco para a vítima. Aí que está a chave do sucesso stalkístico, porque só ela vai achar que você taca pedra na lua, ou seja, a vítima acaba se passando por carente loucadocu! Não é demais? [q]

Vale cantar, dançar, sapatear e bater palma pra maluco dançar.

[No próximo post, darei dicas infalíveis de como identificar essa raça miserável].

PRONTO, FALEI, AGORA PAREM DE LIGAR NA MINHA CASA!

Tipo, detesto falar ao telefone.

Ludivon