Como parecer descolado [mesmo você sendo um palerminha]

2 08 2008

Há tanta informação que chega até nos atualmente, já é difícil absorver uma boa parte de todo esse conteúdo, mas isso possibilita que você descubra quantas coisas toscas tem mundo, e o pior, que você gosta delas.
É difícil filtrar essas informações baseado em um mínimo de bom senso, você acaba gostando de uma coisa ridícula, até ouvir alguém falando numa comunidade do Orkut ou em uma mesa de bar que é a coisa mais repudiável do mundo (podendo ser um anime gay ou colecionar tampinhas de refrigerante, e você pensando que era super hype hihihi).
Por isso, caso você não consiga fazer essa seleção de informações e gostos, e sempre se passa por barango/ ridículo/ ultrapassado/ nerd/ palerminha, vou ensinar aqui o que você deve fazer pras pessoas pensarem que você é descolado.

A partir de AGORA, comece a aplicar no seu dia-a-dia:

• Descubra tudo que está na moda. Isso é bem fácil, é só ir em sites de fofoca, moda e comportamento. Então, selecione as que parecem fazer mais sucesso. A partir de agora, você as odeia.
• Sempre que tiver oportunidade, diga que essas modinhas são coisas de gemza sem personalidade, e que você não compartilha do senso comum.
• Diga que não assiste TV, e que acha que novelas foram feitas para alienar as pessoas, estimular o consumismo e fazê-las se conformar com a situação que vivem.
• Diga que é vegetariano.
• Pegue um monte de comunidades de personalidades que 99,3% das pessoas não façam a mais vaga idéia de quem seja. Sabe aquelas que só tem 4 membros? Essas.
• Faça um Twitter e peça o dos seus amigos, quando eles falarem “não tenho”, você diz com a maior cara de revolta “como assim??? É simplesmente a revolução da Internet! Os primeiros passos da Web 5.0”
• Faça um Facebbok e finja que sabe usar.
• Cite alguns pensadores, filósofos e outros loucos conhecidos que todo mundo paga pau, como Nietzsche, Chaplin, Marx, Dostoievski, Woody Allen, Lispector, Kubrick etc (aliás, quanto mais complicado for de falar o nome, melhor).
• Encha seu playlist de bandas indie, misture algumas levemente conhecidinhas com algumas totalmente desconhecidas. Nem precisa escutar, só deixa lá, mas lembre-se de esconder bem as ruins, coloque em uma pasta nomeada como “provas Fuvest 2004 a 2008”, que ninguém vai mexer.
• Aproveite e invente uns nomes de bandas também, um nome bem bizarro (tome cuidado para não falar uma que já exista, sugiro uma pequena pesquisada antes), se falarem que não conseguiram encontrar, diga que passou dias procurando pois ninguém conhece. Se te pedirem, diga que não passa pois tem ciúmes da banda e que tem medo que ela fique pop.
• Revolte-se contra as redes de fast-food, principalmente o MC Donalds.
• Vire fã de Pop Art
• Fique sempre ausente ou apareça offline no MSN
• Jamais, em hipótese alguma seja efusivo. Hype é ser blasé.
• Critique tudo o que vê com ar superior. Se for muito inseguro pra isso, treine umas palavras difíceis e comece a falar tudo junto. Vão te achar genial.
• Fumar e tomar muito café também é finíssimo (bem, mas eu nem poderia sugerir isso, faz de conta que falei nada oks)
• Aprenda francês
• Sempre que possível, fale de sexo. Mas saiba ser sutil, tem que ser “poético”.

• Use óculos de aro grosso.

• Ame o preto e branco, também ás vezes um vermelho. White Stripes beibe.

Essas dicas podem não salvar sua alma, mas pelo menos podem salvar sua reputação, te encontro no purgatório. bjuztiencontronolimbo

PS: galere querida, sofro de distúrbo de personalidade (brinks), e a partir de agora sou Luddie Von.

Luddie Von

.
Add to FacebookAdd to DiggAdd to Del.icio.usAdd to StumbleuponAdd to RedditAdd to BlinklistAdd to Ma.gnoliaAdd to TechnoratiAdd to FurlAdd to Newsvine





Como ser lecau no Orkut – Parte II

29 05 2008

Agora que já tem o que vai chamar atenção para clicarem no seu profile, você tem que fazer com que as pessoas queiram ficar nele.

A ordem de leitura é: About me – Álbum – Volta pro profile.

Então segue as dicas.

 

Terceiro passo – About me

O famoso “quem sou eu”, é o que vai mostrar pras pessoas se você é interessante ou não. Verão se vale a pena explorar seu profile, pois caso contrário, no máximo vão olhar seu álbum pra ver se você é um rostinho bonito (ou se é bizarrinho).

Desinteressante: Letra de música inteira, um poema enorme, aqueles desenhos feitos com caracteres, um monte de cores e formatos de letra, declarações, “invasões”, listas de “amo” “odeio” “eu sou”, frases super clichês como “sou o que sou e não o que dizem”, “antes de me criticar me supere”, erros de português, miguxês, começar com: “ahhh eu sou um cara legal…” ou misérias assim. Colocar merdas coisas do tipo “sou praieiro, sou guerreiro, tô solteiro, quero mais o que?” ou “sou tiete da Ivete”. Escrever “Yes scrap = yes add, no scrap = no add” ou similares.

Interessante: O melhor é tentar falar o mínimo possível, uma frase concisa e de alto impacto, como “Eu só me fiz mudar, mas depois mudei de mim”. Mas se não tiver tanta criatividade, ou se não for muito bom nisso, experimente colocar umas palavras fortes e bonitas, sem o mínimo de sentido, muitas antíteses e sinestesia (cruzamento de sensações), que vão achar que você é inteligente, tipo “E naquele dia obscuro que me fartei de luz, todos puderam ouvir as minhas cores, e então pude acordar para viver novamente meu pesadelo”.

Para parecer descolado, você pode colocar uns pedaços em tiopês, mas no conteúdo tem que estar bem claro o seu grande senso de humor: “Sol legauz, tiop, el noa faol mau dos oltros, noa bebo, noa fuom, noa foodo ***rss, brinks, el foodo si!!11!!1 Mais mimdeisha faalr q el sol acim oie mimad pegael, uam peçoa bom rs beigos no corasoa!1!!!11”

 

Quarto passo – Álbum

Agora é sua chance de se exibir, as fotos devem ser colocadas com um certo critério de seleção.

So last week: Nu, semi nu, em baixa resolução, muita gente junta, paisagens, todo mundo bêbado segurando um copo de cerveja e exibindo, aliás, qualquer tipo de demonstração de “sou louco/ bêbado/ drogado/ sem noção/ vândalo/ pegador(a)/ vadia/ pegael” etc. Foto de cima pra baixo (emo). Em micareta, mostrando a língua, fazendo sinais de “jóia” ou aquele da “loko na boa”, 5 pares de dedos montando uma estrelinha ou todo mundo mostrando o au istar. Encher de fotos de outras coisas, pessoas ou animais sem você estar incluso. Legendas enoooormes, declarações, muitos símbolos, e todas essas baranguices  excêntricidades.

Tendência:  O (forjado) espontâneo, ou não, sempre funciona. “Pedaços” de você com uma boa aplicação de cores (cuidado com o emo). O grande truque é: Você não é humano, você não dorme, não come, não caga, não trepa. Então tente não mostrar momentos das coisas que você faz, você simplesmente existe sem pretensões ou expectativas de vida, mas sem exageros pra não ficar artificial (lembrando os pontos do “so last week”). Bons olhares “zou zéguizy”, “zou blasé” mas com moderação pra não ficar muito indie. Boas legendas são curtas e com significados meio confusos, ambigüidades, idiossincrasias e trocadilhos são marcantes.

 

 

Agora você já é apresentável, não perca as próximas dicas.

 

To be continued…

 

 

Bisteca