Histórias que menines contam – 2

27 01 2009

Conforme prometido, eis a segunda parte da lista de mentirinhas brancas que as menines contam na hora de vender seu peixe.

Fiquem atentos: melhor saber agora do que se arrepender depois!

Pequena Lista de Meias-Verdades Miseráveis (ou Mentiras Descaradas) que (Algumas) Molieres Adotam nos Sites de Lóvi

MEIA-VERDADE..

A VERDADE INTEIRA…:

Adora viajar

Se você estiver pagando

Adora bichinhos

Futura velha louca dos gatos

Madura

Vai reclamar todo dia que você é um eterno adolescente

Nova Era

Não se depila nunca, em lugar nenhum

Moderna

O ex-marido mora no sótão

Estilo antigo

Luzes sempre apagadas, papai-e-mamãe e olhe lá

Cabeça aberta

Tá topando qualquer um porque, mew, é agora ou nunca

Extrovertida

Vai te constranger em público

Intensa

Loucadocu

Mignon

Olhando de trás, vão pensar que você é pedófilo, o pai dela, ou as duas coisas

Intelectual

Deprimida, meio esquizofrênica

Romântica

Fica melhor quando observada à luz de velas

Autônoma

Desempregada

Confiável

Nem que quisesse iria encontrar com quem te trair

Espiritualizada

Pertence a uma seita

Equilibrada

Dopada

Alta e elegante

Anoréxica

Bronzeada

Estudo de caso para câncer de pele

Calma

Sonífero ambulante

Viúva

Você deve ser o próximo

Escritora

Pretensiosa sem noção

Procura alma gêmea

Assistir “Atração Fatal” novamente é uma boa idéia antes de se envolver com ela

Aleléx





Mentiras que menines contam – 1

5 01 2009

O Lan House traz pra vocês hoje uma pequena e despretensiosa lista de potoquinhas e mentirinhas brancas que as menines-molieres contam quando preenchem o perfil nos sites miseráveis de namoro.

A lista não é exaustiva, mas será dividida em duas ou três partes. Traremos em breve as meias-verdades e dourações de pílulas dos homens, e talvez um apêndice para os estratagemas específicos da galere guei.

Divirtão:

Pequena Lista de Meias-Verdades Miseráveis (ou Mentiras Descaradas) que (Algumas) Molieres Adotam nos Sites de Lóvi

MEIA-VERDADE…:

A VERDADE INTEIRA…:

18 anos

trintão este mês

ama aventuras

já ficou com mais gemza do que você imagina possível ou saudável

carinhosa

possessiva-obsessiva

alma livre

promoção: confie nela de graça e ganhe uma passagem só de ida pro inferno

corpo atlético

uma tábua

beleza dentro da média

esquisita, leve mal-estar estético

linda

distorção patológica da auto-imagem

relacionamento sem maiores compromissos

troca HOJE essas cortinas horríveis e ensebadas!

comunicativa

interrompa-me se for capaz

senso de humor contagiante

faz aqueles trocadilhos de tiozinho: “é pavê ou pacomê?”

boa formação

largou a faculdade paga

emocionalmente segura

medicada

emprego fixo

atendente de telemarketing

curte arte e ópera

pretensiosa e metida a grandes merdas

consciência ecológica

viu uma manifestação do greenpeace na praia de ipanema uma vez

beleza exótica

espantalho, profundo mal-estar estético

cidadã consciente

mestra das picuinhas desnecessárias

financeiramente estável

entra no vermelho com absoluta regularidade

mente aberta

promíscua, maconheira contumaz

confiança em primeiro lugar

tentando contrabalançar a fama de vaca

divertidíssima

desprovida da noção de ridículo

tranqüila

vive em estado pré-comatoso

ótima ouvinte

autista, borderline ou as 2 coisas

inteligente

sarcasmo ferino e gratuito

intuitiva

sua opinião é dispensável

em momento de transição

precisa de alguém pra rachar as despesas

bebe socialmente

lava a boca com vodka antes de dormir

Continua…

Aleléx





Guerra dos Sexos

4 11 2008

O Lan House do Purgatório, dando continuidade à longa série miserável investigativa da gemza humana galerozóica – com sua proposta de abordagem sob um prisma equivocado inovador – tem o orgulho de trazer para vocês hoje uma análise superficial e estereotipada contundente e reveladora acerca das diferenças que caracterizam o comportamento masculino e feminino nas mais diferentes situações do dia-a-dia.

Com vocês:

A Guerra dos Sexos

Caligrafia

Homens: Quando escrevem à mão, nunca enfeitam a letra. É sempre uma miséria indecifrável. A comunidade científica ainda discute se a ilegibilidade do garrancho masculino é proporcional ao nível de testosterona no sangue.

Mulheres: Usam papel colorido, de preferência perfumado, e o pingo do “i” são bolinhas, estrelinhas ou coraçãozinhos. Mesmo que seja um bilhete de pé na bunda, ela vai fazer um desenhinho bonitinho no final.

Compras da Casa

Mulheres: A mulher faz uma lista com tudo que é necessário na casa, vai ao supermercado e compra essas coisas.

Homens: O homem espera até que os únicos itens na geladeira sejam um limão murcho e uma lata de cerveja. Aí ele vai às compras. Compra qualquer coisa que seja bonita e chamativa. Quando chega no caixa, o carrinho está cheio até a boca. E entra na fila expressa, de 10 volumes, é claro.

Relacionamento

Mulheres: Quando um relacionamento termina, a mulher chora e desabafa tudo que está entalado no essi dois dela para as amigas, e escreve um poema intitulado “Todos os Homens São Idiotas”. Aí ela toca a vida dela pra frente.

Homens: O homem tem um pouco mais de dificuldade pra desencanar. Seis meses depois do rompimento, num sábado à noite, tipo 3h da manhã, ele liga dizendo, “Só queria que você soubesse que destruiu minha vida, que nunca vou perdoá-la, que odeio você, e que você é uma vaca. Mas quero que saiba que sempre haverá uma chance pra nós dois”. Esse telefonema é conhecido como “Tiodeio/Tiamo”, e estima-se que 99,73% dos homens já o fizeram pelo menos uma vez.

Sexo

Mulheres: Preferem de 30 a 40 minutos de preliminares.

Homens: Preferem de 30 a 40 segundos de preliminares. Para os homens, o trajeto de carro entre o restaurante e a volta pra casa conta como preliminar.

Maturidade

Mulheres: Amadurecem muito mais rápido que os homens. Boa parte das moças de 17 anos já se comporta como adulta.

Homens: A maioria dos rapazes de 17 anos ainda coleciona álbum de figurinhas e gosta de ficar dando sardinha na bunda dos amigos. É por isso que romance de escola dificilmente funciona.

Banheiro de Casa

Homens: Têm seis coisas no banheiro: escova de dentes; creme de barbear; barbeador; sabonete; xampu; toalha de hotel.

Mulheres: O número médio de itens num banheiro feminino, segundo as últimas pesquisas, é 437. Os homens são neurologicamente incapazes de reconhecer 98,53% deles.

Sapatos

Mulheres: Ao se vestir para ir ao trabalho, a mulher põe uma meia soquete e calça um tênis confortável. O sapato chique ela leva num saco plástico à parte. Quando chega no trabalho, calça o sapato chique. Cinco minutos depois, chuta ele fora porque ninguém está vendo os pés dela debaixo da mesa.

Homens: Usam o mesmo par de sapatos o dia inteiro. Não vamos falar de quantas vezes repetem as mesmas meias.

Roupas

Mulheres: Põem uma roupa decente para: ir ao shopping, regar as plantas, levar o lixo pra fora, pegar a correspondência, ir à padaria, atender o telefone.

Homens: Põem uma roupa decente para: casamentos; enterros.

Lavar Roupa

Mulheres:  Põem roupa pra lavar de dois em dois dias.

Homens: Saem usando todas as peças de roupa que possuem até não ter mais nada pra vestir. Quando isso acontece, põem uma camiseta suja virada pelo avesso, alugam uma kombi aberta e levam o guarda-roupa inteiro pro Laundromat. Todo homem sonha em conhecer uma mulher bonita no Laundromat. Não se tocam que o rascunho do mapa do inferno proporcionado pela visão de cuecas e meias imundas se encarregou de eliminar qualquer chance.

Espelhos

Homens: Vaidosos, gostam de se olhar no espelho.

Mulheres: Caso clínico, buscam seu reflexo em qualquer superfície brilhante: espelhos, colheres, esquadrias de alumínio, carecas luzidias.

Brinquedos

Mulheres: Menininhas adoram brinquedos. Quando chegam aos 11 ou 12 anos, perdem o interesse.

Homens: Nunca perdem o interesse. À medida que vão envelhecendo, seus brinquedos simplesmente vão ficando mais caros, idiotas e difíceis de usar. Exemplo de brinquedos masculinos: qualquer coisa que tenha controle remoto com mais de 30 cm e acenda leds coloridos. Exigir pelo menos 12 pilhas grandes é um “plus a mais”, como diria galvão bueno.

Vestiário

Homens: No vestiário, conversam sobre três coisas: dinheiro, futebol e mulheres. Sobre dinheiro, mentem; no futebol, são os donos da verdade; sobre as mulheres, só contam lorota.

Mulheres: Só falam sobre um assunto no vestiário: sexo. Sem usar meias palavras, são diretas, detalhistas e não mentem (cof, cof) nunca.

Diálogo

Homens: Precisam discordar pra conversar. Quando saem de um filme excelente: “Me senti soterrado por uma avalanche de clichês”. Quando saem de uma bosta, nível linha horizontal no eletroencefalograma: “É incrível como esse diretor consegue trabalhar com tantas camadas de sentido”.

Mulheres: Como a mulher não tem esse problema, tenta puxar assunto com os homens dizendo algo agradável: “Olha que ipê-amarelo lindo!” “Aham”. Pausa. “Aquele restaurante de ontem era bem bonzinho, né?” “Uhum”. Pausa. E segue assim.

Banheiros públicos

Mulheres: Para a mulher, banheiro de bar, boate ou restaurante é um lounge social. Perfeitas desconhecidas costumam sair de lá rindo escandalosamente como se fossem velhas amigas. E, é claro, costumam andar em hordas, pedindo licença da mesa para irem pelo menos duas, e de preferência todas.

Homens: Vão ao banheiro por razões exclusivamente biológicas. Uma vez lá dentro, jamais trocam uma palavra. E nunca, em toda a História, um homem pediu licença da mesa dizendo: “Ow, Rodrigo, tô precisando dar uma aliviada. Vamo ali comigo?”

Reflitão.

Aleléx