Teste do cérebro menine em português

27 03 2009

Vocês se lembram do nosso procuradíssimo post “Seu cérebro é menine ou menine?“, que trazia um teste da BBC para você saber se seu cérebro era menine ou menine?

Pois então, a revista Época acaba de fazer uma adaptação miserável em português. O teste da Época é bem mais curto e mais simples que o da BBC, não deverá ter a mesma precisão do teste em inglês, mas pode ajudar a te situar com mais ou menos precisão na escala de menines e menines.

Fica aqui o teste miserável.

Aleléx

PS: Peço desculpas aos menines e às menines leitores do Lan House pelo longo tempo sem atualização. Estou tendo de me dedicar de corpo, alma e brinks à difícil tarefa de ordenhar o leite das crianças diretamente das tetas da vida, e está difícil escrever misérias. Mas prometo que, em breve, voltarei aqui com mais um post (cof, cof) decente, e aí vocês vão ver!

Anúncios




Querido vizinho…

9 02 2009

Mês passado, um cara se mudou pro apartamento em frente ao meu. Sei quase nada da peça, a não ser que os móveis dele são de bambu, porque vi o pessoal da mudança carregando no corredor. Nos cruzamos na escada uma vez e ele disse “olá”, mas não posso ser amigo de alguém que tem móveis de bambu, então eu disse que tinha de lavar alface pro meu jabuti (não tenho jabuti, acho um bicho desagradável) e vazei.

Dias depois, quando fui olhar a caixa de correio aqui do prédio, vi que ele tinha deixado um bilhete todo colorido, com a imagem de um balão e uma serpentina, dizendo que iria dar uma festa e que era para falar com ele caso o barulho ficasse alto demais.

O problema do bilhete não era dar uma festa e não me convidar, mas, sabendo que não vai convidar a pessoa que vai ler o bilhete, se dar ao trabalho de fazê-lo todo colorido, com balões e serpentinas, como quem esfrega na sua cara: “Tá vendo? Vou dar o maior festão e nem estou chamando você. Mas sou educado pra caralho e pode vir falar comigo se tiver alguma reclamação a fazer”.

Hoje resolvi revelar a troca de emails que tive com ele.

reflitão

convite_paulo

From: Alexandre Rosas
Date: Thursday 8 Jan 2009 11:04am
To: Paulo Conteiro
Subject: R.S.V.P.

Caro Paulo,

Obrigado pelo convite! No início, pensei que era uma festinha infantil por causa das cores primárias fortes, o lindo balão e a bonita serpentina. Mas logo percebi que você deve ter se virado como deu no Paint. Mas ficou bonito! Não perco essa festa por nada. Que horas você quer que eu chegue?

Abraço, Alexandre

From: Paulo Conteiro
Date: Thursday 8 Jan 2009 3:48pm
To: Alexandre Rosas
Subject: Re: R.S.V.P.

Salve, Alexandre
Perdão, o bilhete era só para avisar os vizinhos que poderia haver um pouco de barulho na noite da festa. O open-house na verdade é só para amigos e familiares, mas você pode passar um outro dia pruma cerveja, que tal?
Abs Paulo Conteiro

From: Alexandre Rosas
Date: Thursday 8 Jan 2009 5: 41pm
To: Paulo Conteiro
Subject: R.S.V.P.

Obrigado, Paulo!

Me incluir na sua lista de amigos e familiares significa muito pra mim. Nunca falamos muito quando cruzamos no corredor, já está na hora de mudarmos isso. Da próxima vez que nos esbarrarmos poderemos bater um longo papo sobre um assunto de sua escolha. Podemos falar sobre o Twitter, esse assunto tá super hype. Comentei com meu amigo Rufino que você vai dar uma festa e ele ficou tão animado quanto eu. Quer que eu leve alguma coisa, uns refris, ou é tudo por conta?

Abração, Alex

From: Paulo Conteiro
Date: Friday 9 Jan 2009 10:01am
To: Alexandre Rosas
Subject: Re: R.S.V.P.

Oi, Alexandre
Como eu disse, o open-house é só para amigos e familiares. A casa não é muito grande, então nem daria para receber outras pessoas. Eu sei que você entende. So sorry, parceiro.
Abs Paulo Conteiro

From: Alexandre Rosas
Date: Friday 9 Jan 2009 2:36pm
To: Paulo Conteiro
Subject: R.S.V.P.

Caríssimo Paulo,

Entendo perfeitamente, esse prédio tem apartamentos super apertados. Eu gosto de dar uma corrida leve de vez em quando pra manter a forma, mas hoje em dia é perigoso sair de casa, então corro aqui mesmo, dou vários passinhos curtos parado no mesmo lugar com os braços estendidos junto ao corpo.

Compreendo suas limitações de espaço. Se você quiser trazer alguns dos seus móveis aqui pra casa no dia da festa, tá limpo – se colocarmos sua mobília de bambu aqui no quartinho de empregada e espalharmos as almofadas pelo chão, isso daria um monte de lugares extras pra galera sentar e o ambiente ficaria ainda mais aconchegante.

Eu disse ao Rufino para não chamar mais ninguém por causa do problema de espaço, então seremos apenas eu, ele e um outro parceirão nosso, o Verme. A gente acabou comentando da festa, ele não admitiu ficar de fora, você sabe como são essas coisas.

A namorada do Verme tem um trabalho pra fazer na noite da festa, mas pode ser que ela consiga ir se rolar carona depois com os amigos.

Super abraço, Alex

From: Paulo Conteiro
Date: Friday 9 Jan 2009 4:19pm
To: Alexandre Rosas
Subject: Re: R.S.V.P.

!!!

Ninguém pode vir pro open-house, é só para amigos e familiares! Eu nem conheço essas pessoas. Como você sabe que tenho móveis de bambu? Você é o morador do 301?

From: Alexandre Rosas
Date: Friday 9 Jan 2009 6:12pm
To: Alexandre Rosas
Subject: R.S.V.P.

Salve, Paulo,

Eu entendo que é uma festa particular e agradeço por confiar em mim e nos meus amigos. Eu apenas chutei que você tinha móveis de bambu, todo mundo tem um hoje em dia. O bambu é um dos materiais mais renováveis que existem e, além de ser tremendamente forte, é super leve e bonito.

Mas enfim, o Verme me ligou hoje empolgadão pra falar da festa e perguntou qual seria o tema, eu disse a ele que, até onde tinha entendido, não havia um tema, então falamos a respeito e achamos que seria uma boa fazermos tipo uma festa Ploc. Todo mundo ama os anos 80!

Já estou trabalhando nas alterações do seu convite e vou imprimir 100 unidades ainda hoje. Terei de pedir a sua colaboração financeira porque os cartuchos da minha Epson são importados, não encontro por aqui. R$ 150 cobrem os custos numa boa. Pode deixar a quantia na minha caixa de correio, sem problemas! Vai ficar show

Abração, Alex (super animado! = )

From: Paulo Conteiro
Date: Saturday 10 Jan 2009 11:06pm
To: Alexandre Rosas
Subject: Re: R.S.V.P.

De que diabos você está falando? Não tem festa temática nenhuma, é só para amigos e familiares. Ninguém de fora pode vir, É SÓ PARA AMIGOS E FAMILIARES, você não fala a minha língua? Não imprima nada porque não vou pagar por uma coisa que eu não preciso e não pedi! Olha, me desculpe, mas estou de trabalho até o pescoço e não posso ficar conversando com você. Você é do 301?

From: Alexandre Rosas
Date: Monday 11 Jan 2009 9:15am
To: Alexandre Rosas
Subject: R.S.V.P.

Oi, Paulo,

Concordo plenamente, hoje em dia ninguém mais tem tempo pra nada. A vida anda uma loucura. Não, não, moro no 303. Nossos quartos são parede com parede. Quando estamos dormindo, nossas cabeças ficam separadas por apenas alguns centímetros. Se puser meu ouvido na parede, consigo te ouvir.

Para a sua festa, acho que já decidi: vou de Ninja. Seria fantástico se você também se vestisse de Ninja, aí poderíamos fazer uma exibição de artes marciais para os convidados. Vamos fazer isso! Tenho espadas de verdade, vou levá-las.

Ah, você disse no convite que se eu precisasse de alguma coisa, era só dizer. Meu carro vai estar na oficina semana que vem e eu pensei, como agora somos amigos, se estaria tudo bem pra você me emprestar o seu. Tenho verdadeiro pavor de ônibus, estão sempre lotados de pobres que não têm carro.

Abrasss, Alex

From: Paulo Conteiro
Date: Monday 11 Jan 2009 3:02pm
To: Alexandre Rosas
Subject: Re: R.S.V.P.

!!!!!!!????????

Não, eu não vou emprestar meu carro e não existe o maldito 303. Eu acho que você é o morador do 301. Você não vai vir pro meu open-house e não vai trazer ninguém. Qual é o seu problema, afinal?? Meus únicos convidados são amigos e familiares, eu já disse isso. Ninguém vai vir fantasiado e só vai ter gente que eu conheço. Não quero ser grosseiro, mas pelamor cara! respeita

From: Alexandre Rosas
Date: Wednesday 14 Jan 2009 2:04am
To: Paulo Conteiro
Subject: R.S.V.P.

Grande Paulo,

Estou em viagem de negócios desde segunda-feira e não consegui acessar meus últimos e-mails. Chego em casa hoje à noite, a tempo pra festa, e só queria dizer: estamos todos ansiosos! Devo chegar por volta das onze, no máximo meia-noite, exatamente quando começa a esquentar.  = ))) O compromisso da namorada do Verme foi cancelado, então ela vai conseguir. Portanto, mais uma boa notícia. É provável que ela traga aqueles amigos que eu falei, então vai ser mais animado do que imaginamos. Estou levando o Imagem & Ação.

Super abraço, Alex, the Ninjaaaaa

Aleléx

Tradução e adaptação exclusivas do Lan House do Purgatório sobre o original de David Thorne.




Confissões de uma indecente – III

5 12 2008

A indecente manda dizer que o pastor está satisfeitíssimo com o andamento das confissões. Manda agradecer a todas as manifestações de apoio e pede a paciência de vocês para continuar se confessando, porque ainda tem muita miséria história pra contar.

No post de hoje, mais um episódio pecaminoso que ela precisa tirar de cima dos ombros para poder se sentir mais livre, leve e solta. Ouçamos com o essi dois aberto:

Faz pouco tempo, eu me apaixonei por um crente. Estava eu em uma festa open bar, na qual o meu namorado não quis ir, apesar de eu ter insistido. Fui de melindrosa, com saia de biscateira e meia calça (pois não queria que vissem minhas celulites); como sempre, bebi todas, festas open bar são as mais tentadoras. Naquele momento, vi um rapaz da minha sala, com quem eu não havia trocado nem três palavras em dois anos e meio de faculdade, ele estava vestido de Zorro. No auge de minha bebedeira, olhei para aquele cara e resolvi falar: eu sou completamente apaixonada por você, e ele permaneceu parado, boquiaberto, e chocado, não acreditando no que aquela menina que ele nunca tinha conversado na vida estava falando. Continuei: desde a primeira vez que te vi, não paro de pensar em você, sou louca por você. Ele disse: nossa, eu nunca imaginei. Quando ele disse isso, eu me toquei da merda que eu estava falando e pensei “nem eu”. Mas em vez disso, disse: é verdade. Então ele explicou que era evangélico e que namorava há 3 anos e meio, e apesar de sentir vontade, ele não trairia a namorada por não fazer parte da índole dele, que um beijo não seria apenas um beijo, que ele não conseguiria me beijar e dizer “eu te amo” para a namorada da mesma forma no outro dia. Eu (que também possuo namorado) resolvi filosofar, “eu não vejo mal em duas pessoas fazerem o que têm vontade, se elas não estão fazendo mal a ninguém”, ao que ele disse “mas todos da classe estão vendo”, daí eu dei uma de pedreira e disse “vamos lá ao cantinho”, ele disse “não, não é bem assim”, aquele papo de crente (é claaaro que se ele não quisesse já teria me dado um fora, ele estava tentado!!! não tenho dúvidas), ele voltou a explicar “pra mim, um beijo não é só um beijo” e eu finalizei para o crente “a gente não precisa beijar, a gente pode fazer outra coisa hihihi”, ele disse que eu estava muito bêbada e continuou me ignorando.

Ao fim da festa, fomos ao estacionamento, ele elogiou meu brinco, eu disse que ele devia gostar da dona, ele ignorou meu comentário. Mas dois dias depois veio à minha casa aprender estatística. Por favor, não pensem que não sou religiosa, tenho nada contra, ao contrário, sou muito religiosa, rezo todos os dias antes de dormir, quando acordo, medito pelo menos 15 minutos por dia, acredito no Segredo e vou fazer uma tatuagem de cruz.

Ludivon me pediu para subir este post porque ela ficou um pouco emotiva com o relato e não estava em condições. Mas já se recompôs, não se preocupem.

Aleléx

P.S.: E vocês pensam que acabou? pffffff

P.S.2: A indecente já está apaixonada por outro carinha fikdik





Primeira enquete miserável

2 12 2008

Devido ao sucesso das confissões da indecente (os dois posts anteriores a este), vimos que estava na hora de realizar nossa primeira enquete. Com esta forma de consulta aberta, podemos dar uma força à nossa querida indecente e ajudá-la a decidir o que fazer daqui pra diante.

Sem dúvida nenhuma, a opinião miserável qualificada de nossos leitores fará diferença. De nossa parte, nos comprometemos a repassar os resultados a ela quando dermos a enquete por encerrada. Não deixem de meter o bedelho na vida dela participar:

Notaram que vocês mesmos podem digitar uma opção diferente no campo “Other”, né? medo

Aleléx





Confissões de uma indecente

27 11 2008

Tenho uma amiga de facul que já há algum tempo anda curiosa com essa história de redes sociais, principalmente blogs. Outro dia, ela chegou pra mim e falou assim: “É você que escreve aquele blog, o Lan House do Purgatório, não é? Escuta, eu queria fazer um depoimento. É que estou entrando pra igreja, e o pastor disse que eu tenho de confessar todas as misérias que já fiz. E achei que nada melhor do que fazer isso publicamente num blog chamado ‘lan house do purgatório’. O pastor falou que é pra lá que eu vou, no mínimo! [não pra lan house, pro purgatório mesmo]”

Eu, Ludivon, não sou muito a favor de blogs do tipo “diário”, muito menos do típico “fala que eu te escuto”, a não ser que a pessoa tenha uma vida muito agitada e/ou interessante, e concluí que realmente esse era o caso dela.

Eu disse que por mim tudo bem, que então me mandasse um e-mail com o que ela quisesse confessar. Ela não quer se identificar, quer somente compartilhar suas experiências bizarras, portanto, se vocês curtirem, ela pode vir aqui mais vezes contar sua trajetória insana de vida. Esse é apenas um pedaço da carta de 387 kb [não mudei uma vírgula].

Eis que conheci um surfista (pobre… sem preconceito! Porém, preciso relatar este fato, que por sinal não me agrada). Terminei com meu namorado: estávamos indo para um casamento o qual estava perdendo a cabeça havia um mês… vestido… unha.. cabelo… etc… no dia do casório, o qual eu seria madrinha, o bonito me aparece de calça listrada e camisa xadrez!! Que tudo!! Pronto para o arraiá!!! O que eu fiz?? Imagina?? Perdi o controle!!! Começamos a brigar e tal, nos esbofeteamos, num momento de total descontrole joguei um tubo de laquê (uso laquê ás vezes, por isso possuo tal tubo), na cabeça dele, uuuhhhhhhhh, foi certeiro… que triste! A cabeça dele quebrou, começou a escorrer sangue pelo rosto. Achei que tinha matado-o (lembra do filme “Infidelidade”?? Então… ) Pensei, “ai morreu”, quando me aliviei com um grito dele: “sua vagabunda, você quebrou minha cabeça”. Ufa!!! Tá vivo…

Fui para o casamento tranqüila de que não havia matado-o, conheci o tal surfista que mais parecia um pedreiro, forte, bombado, peludo mas nem tanto, então claro, peguei. Queria ter dado aquele dia, mas não dei porque estava com uma cinta que empurrava minha barriga para que eu pudesse caber no vestido (aqueles de shortinho que vai até embaixo do peito) seria chato tirar na frente dele, então me fiz de pura e me esquivei da tentação. Trocamos telefones e ele ficou apaixonado por mim. Só dei o fora nele porque voltei com o meu namorado que me perdoou pela cabeça quebrada.

Um belo dia eu estava travada de tão bêbada e lembrei do pedreiro (codinome do surfista), estava na casa de uma amiga, era por volta de 02:00 da manhã, e resolvi fuçar no meu celular procurando por homens que poderiam estar disponíveis. Pensei: é este mesmo! (ressaltando que eram 02:00) E para a minha surpresa ele chegou na casa da minha amiga em 30 min (incrível porque  a Zona Leste aqui em São Paulo é um pouco longe da área nobre da cidade) (detalhe importante: ele tem um gol batedeira batido que o limpa vidros liga sozinho nas subidas), ele foi para a casa da minha amiga (eu já estava muito bêbada). Conversamos e conversamos, resolvi que naquela altura do campeonato, já não havia motivo para eu não dar, afinal, o cara era gostoso. Fomos para o quarto da minha amiga, que estava bem escuro, a única luz era a do corredor, a porta estava entreaberta. Ele tirou a roupa (na sombra parecia um macaco – grande e peludo) e veio todo sedento para cima de mim, daí pensei “huuuummm, é hoje que eu gozo, esse homem grande e velho deve saber como se faz, deve ter um pinto grande e foda”. Começamos a transar, papai-e-mamãe, INCRIVELMENTE no papai-e-mamãe o Fagundes dele escapava (de tão fino que era), além disso, ele não gozava nuuuuuunca e a minha amiga já estava começando a arder. Ele não gozava, o negócio escapando, periquita ardendo, (achei que eu que era a “larga”, não que o Fagundes que era fino). Enfim, ele gozou (glória, glória aleluia). 5 minutos depois o mandei embora pois já eram 5:00 da manhã e a empregada da minha amiga estava prestes a chegar e ela não podia ver ninguém lá.

No dia seguinte fui ao cabeleireiro e recebi várias mensagens apaixonadas dele, não respondi nenhuma, (pois apesar de ser rica, estava sem crédito, senão não perderia a chance de iludi-lo), e ainda assim, ele ciontinuava no seu monólogo pós-coito apaixonado.
[Devo lembrar que transamos sem camisinha. Fiquei com medo de ter engravidado, e depois relatei a ele, ao que ele me disse “tudo bem, adoro crianças” (seria um golpe?)].

Está assustador? Prometo que piora.

Ludivon





Guerra dos Sexos

4 11 2008

O Lan House do Purgatório, dando continuidade à longa série miserável investigativa da gemza humana galerozóica – com sua proposta de abordagem sob um prisma equivocado inovador – tem o orgulho de trazer para vocês hoje uma análise superficial e estereotipada contundente e reveladora acerca das diferenças que caracterizam o comportamento masculino e feminino nas mais diferentes situações do dia-a-dia.

Com vocês:

A Guerra dos Sexos

Caligrafia

Homens: Quando escrevem à mão, nunca enfeitam a letra. É sempre uma miséria indecifrável. A comunidade científica ainda discute se a ilegibilidade do garrancho masculino é proporcional ao nível de testosterona no sangue.

Mulheres: Usam papel colorido, de preferência perfumado, e o pingo do “i” são bolinhas, estrelinhas ou coraçãozinhos. Mesmo que seja um bilhete de pé na bunda, ela vai fazer um desenhinho bonitinho no final.

Compras da Casa

Mulheres: A mulher faz uma lista com tudo que é necessário na casa, vai ao supermercado e compra essas coisas.

Homens: O homem espera até que os únicos itens na geladeira sejam um limão murcho e uma lata de cerveja. Aí ele vai às compras. Compra qualquer coisa que seja bonita e chamativa. Quando chega no caixa, o carrinho está cheio até a boca. E entra na fila expressa, de 10 volumes, é claro.

Relacionamento

Mulheres: Quando um relacionamento termina, a mulher chora e desabafa tudo que está entalado no essi dois dela para as amigas, e escreve um poema intitulado “Todos os Homens São Idiotas”. Aí ela toca a vida dela pra frente.

Homens: O homem tem um pouco mais de dificuldade pra desencanar. Seis meses depois do rompimento, num sábado à noite, tipo 3h da manhã, ele liga dizendo, “Só queria que você soubesse que destruiu minha vida, que nunca vou perdoá-la, que odeio você, e que você é uma vaca. Mas quero que saiba que sempre haverá uma chance pra nós dois”. Esse telefonema é conhecido como “Tiodeio/Tiamo”, e estima-se que 99,73% dos homens já o fizeram pelo menos uma vez.

Sexo

Mulheres: Preferem de 30 a 40 minutos de preliminares.

Homens: Preferem de 30 a 40 segundos de preliminares. Para os homens, o trajeto de carro entre o restaurante e a volta pra casa conta como preliminar.

Maturidade

Mulheres: Amadurecem muito mais rápido que os homens. Boa parte das moças de 17 anos já se comporta como adulta.

Homens: A maioria dos rapazes de 17 anos ainda coleciona álbum de figurinhas e gosta de ficar dando sardinha na bunda dos amigos. É por isso que romance de escola dificilmente funciona.

Banheiro de Casa

Homens: Têm seis coisas no banheiro: escova de dentes; creme de barbear; barbeador; sabonete; xampu; toalha de hotel.

Mulheres: O número médio de itens num banheiro feminino, segundo as últimas pesquisas, é 437. Os homens são neurologicamente incapazes de reconhecer 98,53% deles.

Sapatos

Mulheres: Ao se vestir para ir ao trabalho, a mulher põe uma meia soquete e calça um tênis confortável. O sapato chique ela leva num saco plástico à parte. Quando chega no trabalho, calça o sapato chique. Cinco minutos depois, chuta ele fora porque ninguém está vendo os pés dela debaixo da mesa.

Homens: Usam o mesmo par de sapatos o dia inteiro. Não vamos falar de quantas vezes repetem as mesmas meias.

Roupas

Mulheres: Põem uma roupa decente para: ir ao shopping, regar as plantas, levar o lixo pra fora, pegar a correspondência, ir à padaria, atender o telefone.

Homens: Põem uma roupa decente para: casamentos; enterros.

Lavar Roupa

Mulheres:  Põem roupa pra lavar de dois em dois dias.

Homens: Saem usando todas as peças de roupa que possuem até não ter mais nada pra vestir. Quando isso acontece, põem uma camiseta suja virada pelo avesso, alugam uma kombi aberta e levam o guarda-roupa inteiro pro Laundromat. Todo homem sonha em conhecer uma mulher bonita no Laundromat. Não se tocam que o rascunho do mapa do inferno proporcionado pela visão de cuecas e meias imundas se encarregou de eliminar qualquer chance.

Espelhos

Homens: Vaidosos, gostam de se olhar no espelho.

Mulheres: Caso clínico, buscam seu reflexo em qualquer superfície brilhante: espelhos, colheres, esquadrias de alumínio, carecas luzidias.

Brinquedos

Mulheres: Menininhas adoram brinquedos. Quando chegam aos 11 ou 12 anos, perdem o interesse.

Homens: Nunca perdem o interesse. À medida que vão envelhecendo, seus brinquedos simplesmente vão ficando mais caros, idiotas e difíceis de usar. Exemplo de brinquedos masculinos: qualquer coisa que tenha controle remoto com mais de 30 cm e acenda leds coloridos. Exigir pelo menos 12 pilhas grandes é um “plus a mais”, como diria galvão bueno.

Vestiário

Homens: No vestiário, conversam sobre três coisas: dinheiro, futebol e mulheres. Sobre dinheiro, mentem; no futebol, são os donos da verdade; sobre as mulheres, só contam lorota.

Mulheres: Só falam sobre um assunto no vestiário: sexo. Sem usar meias palavras, são diretas, detalhistas e não mentem (cof, cof) nunca.

Diálogo

Homens: Precisam discordar pra conversar. Quando saem de um filme excelente: “Me senti soterrado por uma avalanche de clichês”. Quando saem de uma bosta, nível linha horizontal no eletroencefalograma: “É incrível como esse diretor consegue trabalhar com tantas camadas de sentido”.

Mulheres: Como a mulher não tem esse problema, tenta puxar assunto com os homens dizendo algo agradável: “Olha que ipê-amarelo lindo!” “Aham”. Pausa. “Aquele restaurante de ontem era bem bonzinho, né?” “Uhum”. Pausa. E segue assim.

Banheiros públicos

Mulheres: Para a mulher, banheiro de bar, boate ou restaurante é um lounge social. Perfeitas desconhecidas costumam sair de lá rindo escandalosamente como se fossem velhas amigas. E, é claro, costumam andar em hordas, pedindo licença da mesa para irem pelo menos duas, e de preferência todas.

Homens: Vão ao banheiro por razões exclusivamente biológicas. Uma vez lá dentro, jamais trocam uma palavra. E nunca, em toda a História, um homem pediu licença da mesa dizendo: “Ow, Rodrigo, tô precisando dar uma aliviada. Vamo ali comigo?”

Reflitão.

Aleléx





Entre na moda, vire stalker.

7 10 2008

Como a Lan House é um blog trendy e claro, seu manual de auto-ajuda da brinks, resolvi atender aos pedidos antigos e insistentes e argumentar sobre um, ham, distúrbio, que de tanto estar sendo abordado, discutido e até mesmo perseguido [hahaha] começou a ser quase socialmente aceito, estou falando do muy hablado stalking lifestyle.

[Para os desinformadinhos -> stalker = menine miserável que, na falta de algo melhor a fazer, vive ridiculamente perseguindo gente mais interessante que ele].

Tentarei fazer uma série, onde discorrerei sobre os pontos mais requeridos: Como ser, como identificar e como se livrar de um [esqueci de algum?].

Comecemos então com o Wannabe!

Ser Stalker, comofas?

1º Passo – Perca todo seu senso do ridículo.

Os stalkers legítimos não têm a menor noção das conseqüências dos seus atos, são impulsivos e obsessivos. Zelo, consideração e principalmente o bom senso automaticamente passam a ser palavras inexistentes no seu vocabulário.

2º Passo – Escolha uma vítima.

É óbvio que não dá pra ser um stalker se você não tiver a quem stalkear.

Vítimas preferenciais: ex namorado (a), amor platônico, namorado (a), marido, esposa, ficante, celebridades, objetos de desejo, amante, amigos (as) de irmão (ã), professor (a), vizinho (a) gostoso (a), Tonhão da regulagem.

3º Passo – Crie vínculos imperceptíveis.

Inicialmente, você deve seguir a pessoa disfarçadamente. Nesse primeiro momento, você vai construir as bases para uma stalkeada bem incoveniente e certeira.

Faça um perfil no Orkut sem nada, nem foto, desative a opção da “bina” orkutística e grave o link do perfil da pessoa, assim como de todas as pessoas suspeitas de estarem se relacionando com ela. Faça aloca, você vai ter que aprender a ter uma visão ampla, sugiro o uso do Del.ici.ous.

Se ela tiver Twitter, faça uma conta fake e a siga também, aliás, o Twitter já é uma rede criada para stalkers, onde se separa os participantes por Followers e Followings, em outras palavras, Stalkers e vítimas.

Use quantas redes sociais for possível, vivemos numa era muito propícia para stalkers!

4º Passo – Comece a montar o Arquivo Confidencial.

Junte todas as informações possíveis e impossíveis sobre a vítima, invente se quiser, mas faça isso constrangedoramente. Coloque-se no lugar da equipe do Faustão, onde eles tentam miseravelmente achar informações irrelevantes que deixam a galere com o S2 na mão. [de medo, diemossão, seja o que for].

Você tem que ter basicamente as seguintes informações:

Telefones e endereço – para poder atormentá-la caso seja necessário, como ocasionalmente deixar pacotes bem constrangedores, dê preferência às embalagens de sex shop.

CPF – para saber da situação financeira e sujar o nome porventura.

Nome completo e informações básicas dos parentes mais próximos – você pode precisar fazer umas ameaças de seqüestro.

Situações constrangedoras passadas – chantagens sempre caem bem.

5º Passo – Brinque de teatrinho mágico de uma mente perturbada.

Um stalker experiente sabe quando deve se portar em cada situação, sabe quando deve se fazer de vítima quando a situação aperta pro lado dele e pressionar quando sabe que está na vantagem, ou seja, tem que estar sempre no controle da situação. Desperte o Wolf Maya que está dentro de você [outra citação Global, yeah baby, eles sabem o que você faz na buatchy], seja o diretor desse teatrinho lastimável.

Exemplo: se os amigos começarem a vir falar pra você parar com isso, que é loucura, faça o discurso mais dramático da sua vida, recorra às lágrimas, remédios e consultas psiquiátricas, stalker é igual marido bêbado, sempre consegue convencer que vai melhorar.

Uma dica importante: ser stalker não significa ser esquizofrênico, você só tem que se fazer de louco para a vítima. Aí que está a chave do sucesso stalkístico, porque só ela vai achar que você taca pedra na lua, ou seja, a vítima acaba se passando por carente loucadocu! Não é demais? [q]

Vale cantar, dançar, sapatear e bater palma pra maluco dançar.

[No próximo post, darei dicas infalíveis de como identificar essa raça miserável].

PRONTO, FALEI, AGORA PAREM DE LIGAR NA MINHA CASA!

Tipo, detesto falar ao telefone.

Ludivon