Nova colaboradora: minha tia Afrodite

3 04 2009

Minha tia Afrodite ficou sabendo recentemente que eu faço um blog e tals, ela adora a Ludivon (“uma graça de menina!”), e é do tipo essas tiazonas bem animadas, sabe? curte os lances modernos, até comprou a Época pra saber sobre o Twitter (“chique demais, gemza! vou entrar”)… daí, olha só a idéia dela:

“Eu posso escrever de vez em quando pra vocês dicas sobre um monte de coisas!”

Estranhei. “Como assim, tia? Que monte de coisas?” Ela: “Coisas que interessem aos seus leitores. Dicas… Sobre sexo!”

Nessa hora, como vocês podem imaginar, eu já tava achando melhor não discutir e entregar nas mãos miseráveis sábias do infinito. A gente tem a participação especial da Indecente, não tem? Pois então, que mal tem a tia Afrodite dar os pitacos dela também, né? Dizem que quando mocinha era do balaco e dava nó em… em pingo d’água… hihihi

Então, este post é apenas para avisar a vocês que, qualquer hora, tia Afrodite entrará aqui para dar uns pitacos, e vamos torcer para a sabedoria dela ser útil pra toda gemza. Deve nos render uma risada ou duas, pelo menos.

Esta aqui é ela. grande tia Afrodite!

tia Afrodite é legau

Oie!

Aleléx

Anúncios




A indecente nos telefonou

28 02 2009

Caros leitores, Ludivon me autorizou a divulgar para vocês em primeira mão que a Indecente entrou em contato com ela hoje para anunciar que tem novas revelações a fazer, e elas já estão escritas. Lud acaba de sair para se encontrar com a descontrolada simpática jovenzinha e recolher o material bombástico.

Assim que estivermos de posse dessas laudas cálidas e reveladoras, postaremos de imediato!

Maiores informações a qualquer momento. Avisaremos pelo Twitter e por todos os meios ao nosso alcance. Stay tuned, folks!

Aleléx





Por que homens são silenciosos na cama

24 11 2008

Outro dia, tava num bar com a galere e surgiu um assunto muito interessante. Uma menine perguntou, “por que vocês homens são tão silenciosos na cama?” Pensei com meus botões (embora não tivesse nenhum botão): “Taí, é mesmo, por que a gente não geme igual a elas durante o zéguizo, gemza?”

Cada um expôs suas teorias, o papo rendeu, e, no dia seguinte, fui pesquisar o assunto no Google. Acabei encontrando um relatório muito interessante sobre o tema, mostrando o que acontece com 88,63% dos homens durante a prática do be-bop-a-lula, e resolvi traduzir uma parte para postar aqui na Lan House do Purgatório. A gente sabe que vocês gostam, seus safadenhos.

A explicação contida nesse relatório não serve para todos os homens, mas descreve a realidade de muitos.

Segundo o trabalho, os homens silenciosos na cama estão muito ocupados… pensando. Você leu direito. Pensando. Cataratas. É que, de acordo com a pesquisa, na cultura machista em que vivemos cabe aos homens mostrar serviço, impressionar a menine. Ela, por sua vez, pode acabar assumindo um papel mais relaxado, mais “tô deixando na tua mão, me mostra aí do que você é capaz”.

Resultado: o cara pode ficar com aquela expectativa de desempenho e grande parte da espontaneidade vai pras cucuias. Felizmente, nem todos os casais são assim na cama, mas isso ainda rola litruz.

E não se trata de estar simplesmente “pensando”: trata-se de uma verdadeira multi-tarefa biopsíquica de proporções épicas!

O neuro-processador miserável dos menines, que já não é lá grande coisa — em geral, eles vêm equipados com um processador “Célebron” numa placa-mãe modelo “Comofas?” —, tenta dar conta na cabeça de cima de complicados algoritmos da brinks que a cabeça de baixo se esforça para executar direito, nem sempre com sucesso.

O trecho que traduzi é a transcrição de um diálogo que aconteceu entre os pensamentos de um cara na hora do zéguizo, a parte do cérebro dele que toma decisões autônomas (doravante chamada “processador da brinks”) e a menine que estava ali sem fazer a mais pálida idéia da miséria que afligia o pobre diabo.

Tudo começa mais ou menos nessa base:

“OK, hora da brinks! Eba!”
“Espero não estragar tudo dessa vez”
“Hum, tô no orifício correto?”
“Não, pera… achei!”
“OK, começando devagar”

Não demora muito até que as ondas cerebrais começam a revelar que um processo de pânico silencioso começou a se instalar (por fora, tudo parece normal):

PENSAMENTO: “Droga, ela acaba de se mexer”
PENSAMENTO: “Será que acertei o ponto G ou machuquei ela?” |gemidos suaves|
PENSAMENTO: “Ela está começando a gemer!”
PENSAMENTO: “Mas será que é porque tá doendo ou porque tá gotozinho?”
PENSAMENTO: “Vou acelerar o ritmo um pouco” |gemidos se intensificam|
PENSAMENTO: “Ela tá gemendo mais alto, agora é ctzzz que tô fazendo direito”
PENSAMENTO: “YES! Ela tá começando a ficar moliadinha litruz, assim está melhor”
PENSAMENTO: “Deixa eu tentar mudar o ângulo um pouco…”
………………………….
PENSAMENTO: “Não, não gostei assim” |gemidos páram|
PENSAMENTO: “Droga, como é que eu estava fazendo antes mesmo?”
PENSAMENTO: “Dane-se, vou tentar uma posição diferente”
ELA: Ai!
PENSAMENTO: “É… ctzzz que assim machuca”
ELA: O que você está fazendo?
PENSAMENTO: “Perigo! Perigo!”
PENSAMENTO: “Reduzir para 30 nós!”
PENSAMENTO: “Inverter turbinas!”
PENSAMENTO: “Acionar os flaps!”
PENSAMENTO: “Baixar trem de pouso!”
PENSAMENTO: “Verificando sistemas”
ELE: Você está bem?
ELA: Err… sim
PENSAMENTO: “Não houve danos ao sistema”
ELE: OK, vamos tentar novamente

—Passam-se cinco minutos. Basicamente, o processador da brinks assume as tarefas em segundo plano—

PENSAMENTO: “OK, recomeça a partida” |gemidos aumentam de intensidade e freqüência|
PENSAMENTO: “Alvo à vista, manter posição” |o corpo inteiro começa a sentir coisinhas|
PENSAMENTO: “Bora… Bora…” |o corpo se contorce|
PENSAMENTO: “Segura… segura…”
PROCESSADOR DA BRINKS: ALERTA. ALERTA
PENSAMENTO: “Ai, droga!”
PROC. DA BRINKS: RISCO DE SOBRECARGA DO SISTEMA
PENSAMENTO: “Droga, ainda não está na hora!” |gemidos escandalosos|
PENSAMENTO: “Agüenta mais um pouquinho, mew”
PROC. DA BRINKS: VAZAMENTO IMINENTE
PROC. DA BRINKS: SOBRECARGA DO SISTEMA EM CURSO
PENSAMENTO: “POR MERLIN! Acho que não vou conseguir segurar”
PENSAMENTO: “Preparar para desligar piloto-automático e assumir o controle do sistema”
PROC. DA BRINKS: SOBRECARGA. SOBRECARGA
PENSAMENTO: “Arremeter, arremeter”
PROC. DA BRINKS: PILOTO-AUTOMÁTICO RELIGADO
PENSAMENTO: “NÃO! DESLIGA ISSO! DESLIGA ISSO!”
PROC. DA BRINKS: ALVO NA MIRA. ALVO NA MIRA
PENSAMENTO: “Se eu gozar agora é cedo demais?”
PENSAMENTO: “Se eu gozar agora é cedo demais?”
PENSAMENTO: “Se eu gozar agora é cedo demais?”
PROC. DA BRINKS: |freqüência cardíaca do alvo: OK|
PROC. DA BRINKS: |respiração do alvo: OK|
PENSAMENTO: “Tenho… que… segurar… mais… um pouco…”
PROC. DA BRINKS: |BE-BOP-A-LULA FEMININO INICIADO|
PENSAMENTO: “Não… consigo… segurar… mais…”
PROC. DA BRINKS: |BE-BOP-A-LULA FEMININO EM CURSO|
PENSAMENTO: “Está fora do meu controle, entrego à mãe natureza!”
PROC. DA BRINKS: VÁLVULA PRIMÁRIA ABERTA: BE-BOP-A-LULA EM PROGRESSO |PLOSHHHHH|
PROC. DA BRINKS: SEU SISTEMA ESTÁ SENDO DESLIGADO AUTOMATICAMENTE
ELA: Querido, você está bem?
ELE: Sim… minha cabeça tá doendo…
ELA: Oh, desculpe… |fica sem graça|
ELE: Não, a outra cabeça
ELA: O quê?
ELE: Nada. Você gozou?
ELA: Como assim, você não notou!!
ELE: É que eu tava meio ocupado na hora
ELA: Você é sempre tão misterioso, gemza
ELE: Da próxima vez, deixo você pilotar
ELA: Dá licencinha, preciso fazer xixi

Reflitão

Aleléx

Tradução e adaptação exclusivas do Lan House do Purgatório sobre original de Jon Elkins.




Lan House Chat ao vivo!

13 11 2008

Como estou cada vez mais conectado, usando todas as misérias da internet redes sociais possíveis, Twitter, Facebook, Tumblr, Plurk, Urgh e Blergh!, e me animando cada vez mais com as infinitas possibilidades de perda de tempo comunicação instantânea em tempo real, resolvi fazer uma experiência online aqui no blog.

Vou abrir uma janela temporária de chat ao vivo no Lan House do Purgatório durante uma ou duas horas, sempre de surpresa, e convidar vocês, nossos queridos leitores que estiverem online no momento, para participar e opinar sobre a patifaria atividade que eu estiver fazendo naquele momento.

A idéia é dividir com vocês – o público que sempre nos stalkeia prestigia – uma parte do cotidiano do blogueiro, criando um canal de comunicação mais direto e uma maior intimidade. Espero que gostem da experiência. Se der certo, farei outras vezes.

Com vocês:

Lan House Chat ao vivo com: Aleléx

15:45

Olá pessoal! Bem-vindos ao primeiro Lan House Chat ao vivo.

15:46

Acabo de chegar do almoço com a namorada, e, pelo clima, acho que vai rolar zéguizo daqui a pouco! hihihi

15:46

Ela tá no banheiro agora, fiquei aqui na cama esperando. Tô com um bom pressentimento! =P

15:47

Se bem que essa feijoada no meio da semana pode não ter sido uma boa. =\

15:48

[Comentário de Cecon]

Você acha que essa opção de cardápio pode ter influência negativa no bom andamento dos trabalhos?

15:49

Boa pergunta. Espero que não. Por sorte, a gente usa um colchão d’água, aí dá pra pôr a culpa de qualquer barulhinho mais chato nele. =~~

15:50

Vamos à primeira enquete com os leitores:

15:50

Quanto tempo devemos ficar nas preliminares?

0 a 5 minutos

(43%)

6 a 10 minutos

(55%)

Mais que 10 minutos

(2%)

15:51

Ela tá vindo *_*

15:52

Tamo nos pegando, beijação doida…

15:55

Ela acaba de dizer que beijo igual nos filmes!! = D

15:55

[Comentário de Broono]

ixi mau sinal!!1

15:56

Mas pode ser um elogio, não pode? O.o

15:57

[Comentário de {Gui}lherme]

infelizmente, acho que não, Aleléx. = (

15:58

A intenção foi elogiar?

Sim

(20%)

Não

(60%)

Mais ou menos

(20%)

16:00

Ela tá em cima de mim, tirando meu cinto. desculpem se eu deixar de repsonder alguma pergunta a partir de agora…

16:02

Acabo de peidar um pouquinho. =( Dei uma tossida e balancei a cama pra disfarçar. Acho que enganei bem. Vou beijar mais antes que o cheiro suba.

16:03

Trocamos de posição,. agora eu tô por cima

16:04

Tá ficando difi´cil usar o laptop. Talvez e4u tenha que passar pro Blackberry.

16:06

Ela acaba de dizer “hora de vestir a golinha rolê de borracha” Não sei bem o que respondo comofas

16:06

[Comentário de Patty]

Melhor fazer o que ela tá dizendo!

16:07

aham! droga, não vou conseguir segurar, tô quase, mas ela ainda não gozou!! Comofas?? AJUDEMM!!!

16:07

[Comentário de Ludivon]

rápido olha aqui! http://www.youtube.com/watch?v=KC9FtLQJoGM

16:08

Brigado! essa foi por pouco…

16:10

Ela tá fazendo um barulho dos diabos agora. Acho que tá quase tendo um be-bop-a-lula.

16:10

[Return in] 5 minutes

16:15

Pronto. Terminamos.

16:16

Acaba de dizer que sou “impressionante” na cama. uhull!! @_@

16:16

[Comentário de Gabizão]

Ela tava fingindo. \o/

16:17

Ela estava fingindo?

Sim

(85%)

Não

(10%)

Talvez

(5%)

16:20

Hum… acho que temos uma maioria de leitoras hoje. =/

16:21

Esta transmissão ao vivo foi encerrada.

Aleléx





Entrevista exclusiva com um ator pornô

22 10 2008

O Lan House do Purgatório traz hoje pra vocês uma entrevista exclusiva e reveladora com um ator pornô profissional em atividade no mercado brasileiro. Daniel Lovestrong concordou em conversar comigo e com Ludivon e autorizou que gravássemos sua voz para produzir um podcast da entrevista.

Suas únicas exigências foram manter o nome verdadeiro no mais absoluto sigilo e disfarçar o áudio com aquele efeito medonho de voz de pato. Atendemos o pedido, mas a lhama de estimação da Lud devorou a fita K7 (cof cof), e, por isso, não vai rolar podcast. Mas como isso só aconteceu depois da transcrição das falas, o conteúdo da entrevista foi preservado.

Com vocês, a íntegra desta surpreendente conversa:

Aleléx: Como é ser ator pornô? É lecaus?

Ludivon: (olha para Aleléx sem acreditar na imbecilidade da primeira pergunta)

Daniel Lovestrong: É uma bela bosta. Eu sei que você vai dizer: “Ah, conta outra, mew! Você deve ter o maior luluzão e ainda ganha pra fazer zéguizo! saycu”. Olha, isso é verdade, mas ser profissional não tá com essa bola toda que a galera imagina. Estou no ramo há quase cinco anos e, apesar de às vezes até ser divertido, a maior parte do tempo é um estresse filho da puta. Claro que, no geral, é maneiro ficar ali, na moral, com as minas, e tals. Mas o dia-a-dia da miséria, mew… acaba com você. Aí você me pergunta por que eu faço isso, e eu…

Ludivon: (interrompendo) exatamente! se é tão saycu por que você faz a miséria então, gemza?!

DL: Olha, pra quem chegou no meu nível, a grana até que é boa, embora não seja nenhuma fortuna. Nosso trabalho é fazer sexo, né. Bom, mas a verdade é que alguém tem que fazer e não é qualquer um que dá conta do recado com todas aquelas luzes em volta, a equipe de filmagem, o diretor berrando “soca mais forte, fagundes!” Honestamente, não vou negar: é bem melhor que trabalhar no McDonald’s, que era meu trampo anterior. Eu sei que, mais cedo ou mais tarde, vou acabar fazendo coisas mais tranqüilas. Mas, por enquanto, continuo na batalha aí mesmo, apesar de ser essa bela xuca azeda que eu já disse.

Aleléx: Pô, você já falou que acha uma bosta, mas ainda não explicou por quê…

Ludivon: É, mew, explica por quê…

DL: Vou explicar, vocês vão entender. Primeira coisa: Você é OBRIGADO a fazer sexo. Eu sei que parece maluquice – é pra isso que estamos ali –, mas é verdade. Pensa junto comigo: pode até ser que você viva excitado o tempo inteiro – eu vivo -, mas isso não significa que vai querer trepar o dia inteiro. A gente quer trepar quando tá a fim, certo? Não quando “está na hora”, toda hora! Digamos que seja duas da tarde. Ou sete da manhã. Tem oito pessoas no estúdio – você, o diretor, a menina com quem vai “trabalhar”, o câmera, o cara da iluminação, o maquiador, e sempre tem um outro cara que você nunca sabe pra que serve – e, de uma hora pra outra, tá na hora de socar o fagundes. VAI! Quer dizer…

Aleléx: Hum, tô começando a entender…

Ludivon: (ainda não convencida) Seja mais específico. Conte algum problema para que possamos entender melhor a miséria toda.

DL: OK. Fazer o fagundes levantar, por exemplo. O pesadelo de todo homem não passa de um probleminha meia-boca num set pornô. Claro, porque hoje em dia tem montanhas de Viagra e Cialis, e parece que, pronto, resolvido o problema. Mas existem efeitos colaterais de ficar tomando esse tipo de medicação com tanta freqüência.

Aleléx: Tipo…

DL: Porra, o primeiro deles é que o corpo desenvolve resistência ao princípio ativo se tomar demais. Aí, com o passar do tempo, você pode derrotar uma mão cheia de pírolas que vai ter zero de efeito. Quer dizer, do efeito desejado, porque as dores de cabeça serão de fuder e ainda corre o risco de perder a visão. Aí é duro, né, colhega? Sem trocadilho. Chegou nesse ponto, só te resta aplicar injeções direto no fagundão – com agulha mesmo – usando uma medicação líquida mais forte. E, com o tempo, ele vai ficando todo espetado na base…

Ludivon: (sente náuseas)

Aleléx: (sua frio)

DL: Só o Exu Tranca Xuca da Sétima Buatchy sabe que outros efeitos miseráveis aquela droga pode estar fazendo no corpo, mas a gente tem que fazer a cena, né?

Aleléx: Mew, que barra…

DL: Nem me diga, meu chapa.

Ludivon: gemza (mexe no cabelo)

Aleléx: Bom, você está começando a me convencer, mas, é só isso? Que outros problemas pode haver?

DL: Só isso? Você tá de brinks com a minha cara. Mas eu te digo o que mais pode haver. Os homens que trabalham nesse ramo ganham muito menos que as mulheres. Que tal essa? Cada atriz pode levar de R$ 900,00 a R$ 1.200,00 por cena, dependendo do número de caras com quem ela vai ter que “contracenar” e da modalidade de porcaria que vai ter que fazer. Tipo: penetração dupla, penetração tripla, ménage, anal, candelabro-vienense, essas misérias. Quanto você acha que um cara ganha? Em média, R$ 500,00!!! É verdade que pode ser mais, principalmente se você já tem um nome, seu fagundes for conhecido… Mas a mentalidade é a seguinte: mew, você já tá trepando com uma atriz pornô toda boa, dê-se por satisfeito de ainda estarem te pagando alguma coisa por isso!

Ludivon: hahahahaha

Aleléx: Pô, até que faz sentido rs

DL: Cês tão me sacaneando? saycu. Não é justo. Depois que a gente fez o que tinha que fazer, e lambrecou tudo lá, e rolou legau, é maneiro. Mas quando você sai dali e percebe que não vai dar pra pagar nem uma prestação inteira daquela Jacuzzi que você comprou pra relaxar em casa e já tem que filmar novamente só pra poder pagar a próxima parcela do refinanciamento da sua dívida do cartão… aí já começa a perder a graça.

Aleléx: É, tá me convencendo de novo…

Ludivon: Acho que tá faltando falar mais de putaria, tá ficando muito técnico. Conta algo ali do vamo-vê que todo mundo acha que é legal mas nem é.

Aleléx: Boa, Lud!

DL: Fácil. Podemos falar da “pontaria”, por exemplo. Quando tá na hora do fagundão disparar, o diretor quase sempre quer que você acerte o rosto da sua parceira. Não tem nada pior do que você ter acabado de fazer uma cena no capricho, tudo certo, pra no finalzão, ela preparadona lá, língua de fora, geral na expectativa, e o troço dispara pro lado errado, vai parar na outra parede, no teto, na putaquepariu, mas no rosto dela, que é bom, só pega uma gota que a câmera nem capta! O diretor berra “CORTA!” e, em geral, manda repetir.

Aleléx: Mas dá pra fazer isso?!?

Ludivon: -q

DL: Cara, a gente tenta, mas é foda, e nem dá pra pedir um pinto novo emprestado, né. A auto-estima sai arranhada.

Aleléx: Poha, que bad. Ah, mas contracenar com aquelas meninas lindas, cada corpão que não é toda hora que se vê por aí… Tem que ter o lado bom, mew!

DL: Bicho, você tá por fora. Isso até pode acontecer, mas não é bem assim. Olha. Acredite se quiser, nesse meio também tem os gostos de cada um. Você pode não gostar daquele silicone todo, aquilo pode ser uma maldita arma branca, quicando perigosamente pra todo lado, e, se te atingir no contra-golpe, a pancada pode ser violenta e machuca! E você pode se ligar só em morenas, ou louras, e a menina não é do seu tipo, ou te lembra a tua irmã! Pode ser gorda demais, magra demais, alta demais, musculosa demais… você entendeu.

Aleléx: Uhum.

DL: Não importa se você ODEIA ela, ou a cara dela, ou o cheiro dela, ou o gosto dela – tem que encarar e dar conta do recado ou vão colocar outro paspalho no seu lugar. Mas até pode acontecer de você dizer que não vai dar, que não rola mesmo. Mas aí você acaba com fama de “cara difícil”, “cara pentelho”, “não dá pra trabalhar com esse aí”, e, com o tempo, os escaladores de elenco vão parar de te chamar. É um problema real, é sério, e pra não cair nessa tem que ter controle mental de Samurai, imaginação de Júlio Verne, poder de concentração de mestre Jedi.

Ludivon: ai vocês homens são tão visuais…

Aleléx: Fato. Bicho, eu nunca tinha pensado que podia haver tantas dificuldades assim.

DL: E tem mais. Você tem que ser Garanhão modelo Frescura Zero: pode ser que a cena seja um ménage: você, a menina e outro cara. Se rolar penetração dupla, é ctzzz que seu fagundes vai no mínimo roçar no pinto do outro. Brrrr. Também não é nada confortável quando o cameraman tem que debruçar por cima de você, praticamente apoiado nos seus ombros, pra tentar pegar um close radical da menina que está com seu saco inteiro na boca. E você não gosta de sexo anal? Azar o seu. Não é grande fã de suquinho de lelé? Dane-se! Eu, por exemplo, odeio quando tenho que levantar a menina do chão e sair bufando pelo cenário, arrastando ela pela parede, pela pia da cozinha, por cima do armário, por trás do tanque… Eles não querem saber. Faça o serviço ou ceda o lugar pra quem estiver disposto, a fila lá fora é grande.

Ludivon: Tô começando a ficar com pena de você, de verdade.

Aleléx: Eu também. Estou até com medo de prosseguir a entrevista…

DL: E eu mal comecei. Faço questão de dizer, por exemplo, uma coisa que quase ninguém fala. Publica isso aí. As miseráveis machucam nosso pinto! Porque, não se esqueça, elas também querem passar a impressão do máximo de empolgação, entusiasmo, tesão. A carreira e o cachê delas também estão em jogo o tempo todo, como o nosso. Aí, o que é que acontece?

Aleléx: meda de perguntar

DL: Mas eu lhe digo! Ela morde a coisa com vontade! Mete os dentes! Bate uma munheta com o máximo de força e velocidade que ela consegue, chupa o que tem que chupar igual um desentupidor de pia miserável movido a diesel! É isso que ela faz.

Ludivon: nhaim…

DL: Sim, eu sei. E é quase impossível dizer pra ela parar de fazer alguma coisa que te machuca, ou que te deixa desconfortável, porque provavelmente vai melindrar a moça. Às vezes, ela simplesmente não saca o que pode haver de mal, ou, se saca, não dá a mínima. Pra ela tanto faz. E você não pode contar com a solidariedade do diretor, nem de ninguém da equipe. Afinal, o que está sendo triturado como se fosse numa máquina de moer carne é o seu pinto, e não o deles.

Aleléx e Ludivon: (silêncio constrangido)

DL: E eu ainda tenho um agravante. Por causa de uma promessa, estou sempre com o anel peniano do meu Exu Protetor, gravado com o nome dado por meu Santo de Cabeça: LOVESTRONG. Meu anel peniano é como um talismã pra mim, ele me protege. Não tiro nunca, e às vezes é ainda mais desconfortável por causa disso. Posso mostrá-lo se vocês quiserem.

Ludivon: Não será necessário.

DL: Enfim… Ah! E tem também os ângulos! Os malditos ângulos! Tomadas radicais, flexões acrobáticas presse ou praquele lado, tudo pra que a câmera consiga mostrar o que o público pagante quer ver: o fagundes socando forte na xoxoquinha. Uma coisa bacana e agradável na vida real simplesmente não funciona nos filmes, aí a gente é obrigado praticamente a se dobrar no meio pra conseguir a imagem perfeita, e, acredite: dói. Tem horas que parece que o pinto vai quebrar. Não é de admirar que haja tantos por aí tortos e estropiados. Fora os problemas de coluna.

Aleléx: (visivelmente arrependido de ter proposto a entrevista) Bom, vamos encerrando, e gostaríamos de pedir suas considerações finais. Alguma pergunta final, Lud?

Ludivon: (pigarreando) Sei que vou me arrepender, mas gostaria de saber qual é o seu maior medo, trabalhando nesse mercado.

DL: Bem, como vocês viram, por fora parece divertido, mas acho que consegui mostrar que o mercado pornográfico é dureza e nem sempre compensa o tanto que a gente se esfalfa. Meu maior medo, trabalhando nesse mercado, é que meus amigos e minha família descubram o que faço pra viver. Acho que esse é o último grande motivo por que ser ator pornô é uma bela de uma bosta. Mas, até eu conseguir terminar a faculdade, é a única coisa que sei fazer, e acho que o jeito é continuar encarando. Pelo menos, as pessoas não costumam prestar muita atenção na cara do dono do pinto, né?

Aleléx: Verdade.

Ludivon: (tosse)

Aleléx: Bom, quero agradecer em  nome dos leitores do blog pela entrevista. Concluímos aqui mais um serviço que acreditamos ser de utilidade pública, e esperamos que tenham gostado. Muito obrigado, e até a próxima.

Ludivon: Beijos, galere.

DL: Eu que agradeço a oportunidade.

Entrevista realizada nos estúdios Lan House do Purgatório Hall. All Brinks Reserved © 2008

Repórteres: Aleléx e Ludivon

NOTA: A lhama de Ludivon passa bem.




Descubra seu tipo de namorada e namorado

8 10 2008

O Lan House do Purgatório traz hoje as últimas descobertas do Tonhão da Regulagem da psicologia sobre os nove tipos básicos de namorados e namoradas, o que permitirá que você identifique mais facilmente o tipo com o qual se envolveu (ou está prestes a se envolver) e possa tomar a decisão mais importante nessas horas: toco imediato, zéguizo leviano pelo tempo que der ou casamento com comunhão de bens?

Com vocês…

OS 9 TIPOS DE NAMORADOS

1. João Bonzinho – “Depois que eu lavar a louça, vamos ficar abraçadinhos e zuntinhos, tá OK, meu benzinho?”
Também conhecido como: João Denguinho, João do Lóvi.
Vantagens: Bem comportado; passa as próprias camisas.
Desvantagens: É tão compreensivo que irrita; perfeito paspalho; shoralitruz

2. João Ódio Gratuito – “As pessoas são idiotas. Quero que o mundo se exploda ou se imploda, tanto faz. Vamos ficar em casa vendo televisão”.
Também conhecido como: João Rasga Tapete, João Q Porra É Essa.
Vantagens: Não fica galinhando por aí; é previsível.
Desvantagens: Chato pra caralho.

3. João Delicado – “Mimimi-midesculpa… seja lá o que eu fiz, deculpi-pipipipi”.
Também conhecido como: João Só Digo Sim, João Mil Perdões
Vantagens: Dá um pulo hilário quando toma um susto.
Desvantagens: Se assusta com qualquer miséria; desiste sem tentar.

4. João Bombado – “Fecha a matraca, estou raciocinando”.
Também conhecido como: João Açaí Com Granola, João Bravo
Vantagens: Abre qualquer tampa; é fácil de enrolar.
Desvantagens: Pode te partir no meio; sua igual um porco.

5. João Soneca – “zzzzzzzzz”
Também conhecido como: João Boa Noite, João Blecaute, João João JOÃO!
Vantagens: Alvo fácil; não pode reclamar que não tem descansado.
Desvantagens: Dificilmente vai realizar algum sonho seu.

6. João Serão Extra – “Quem, eu?…”
Também conhecido como: João Gandaia, João Pés de Pluma
Vantagens: Pode ficar se corroendo de culpa.
Desvantagens: Pode estar se divertindo horrores.

7. João Loverboy – “Depois que eu lavar a louça, vamos trepar como dois demônios da tasmânia epilépticos, OK?”
Também conhecido como: João do Be-Bop-a-Lula, João Vem Aqui Minha Nega, João da Brinks
Vantagens: Está sempre pronto.
Desvantagens: Está sempre pronto.

8. João Sonhador – “Um dia serei rico e famoso. Não sei como, mas…”
Também conhecido como: João Prometo Q Um Dia, João Acorda Alice
Vantagens: É bom contador de histórias.
Desvantagens: Vai se transformar no João Não Sei O Que Houve.

9. João Todo Perfeito –  “Enquanto os criados lavam a louça, façamos amor como dois demônios da tasmânia no cio em meu iate novo, OK?”
Também conhecido como: João Mastercard, João Bolso Sem Fundo
Vantagens: É a resposta às preces de toda mulher.
Desvantagens: Devido à caça predatória, tá praticamente em extinção.

OS 9 TIPOS DE NAMORADAS

1. Maria Gente Boa – “Entradas pro Maraca? Oh, amor, não precisava!”
Também conhecida como: Maria Amigão, Maria da Galere
Vantagens: Alegre, agradável, bacana.
Desvantagens: Pode cair na real um dia.

2. Maria Azeda – “Seu paspalho, imbecil, demente, neto de uma xuca! Não está vendo que me faz sofrer??”
Também conhecida como: Maria Perdigoto, Maria Megafone
Vantagens: Presta atenção em você.
Desvantagens: Guincha; taca frigideira.

3. Maria Tô-Mal – “Ai, minha cabeça. Minha cabeça. Meus pés. Cólica. Celulite”.
Também conhecida como: Maria Escalda Pés, Maria Me Ajude Doutor
Vantagens: É previsível.
Desvantagens: É contagiosa.

4. Maria Mandona – “Senta direito. Muda essa camisa. Corta o cabelo. Larga isso. Vai trabalhar. Não me olha assim”.
Também conhecida como: Maria Isso, Maria Aquilo
Vantagens: Está certa muitas vezes.
Desvantagens: Está certa muitas vezes, mas e daí poha?

5. Maria Insatisfeita – “Não consigo me decidir! Devo mudar de facul, de objetivos, de cidade, de tintura?”
Também conhecida como: Maria Dúvida Cruel, Maria Comofas
Vantagens: Se tranqüiliza facilmente.
Desvantagens: Se desespera mais facilmente ainda.

6. Maria Louca Fora de Controle – “Tive uma idéia. Vamos ficar bêbados e trepar no quintal da frente. Já fiz isso antes. É divertido, gemza”.
Também conhecida como: Maria Locadocudela, Maria Antonieta
Vantagens: Mais divertida que um desenho do Pica-Pau.
Desvantagens: Tira as duas mãos do volante quando está dirigindo; não dá pra confiar nela.

7. Maria Ranca Toco – “Não vejo nenhuma graça nesses quadrinhos idiotas que você vive lendo e rindo feito imbecil”.
Também conhecida como: Maria Não Enche, Maria Bom Dia Por Quê?!
Vantagens: Seus amigos terão pena de você.
Desvantagens: Você não terá amigos.

8. Maria da Lua – “Acho que essa dança sagrada vai explicar como me sinto sobre o nosso relacionamento”.
Também conhecida como: Maria Incenso, Maria Chama Violeta
Vantagens: Hilária; misteriosa.
Desvantagens: Vai querer ler alto as poesias que faz.

9. Maria Perfeitchenha – “Estou plenamente satisfeita com você exatamente como é, meu namorado lindo, genial e gostoso! Acho que devemos trepar como dois demônios da tasmânia albinos agora!”
Também conhecida como: Maria Eu Quero Você Aqui Ó, Maria Opa É Agora
Vantagens: Engraçada, inteligente, desinibida.
Desvantagens: Não terá afinidade nenhuma com você.

Reflitão.

Aleléx





Como fazer uma festa animada

28 09 2008

A Diesel faz 30 anos dia 11 de outubro e nós é que ganhamos o presente…

Clique aqui para assistir às dicas de como fazer uma festa bem animada!

É safe for work de um modo meio estranho, estão avisados. Zenial

Aleléx